14 de dezembro de 2012

O QUE FAZER QUANDO O PARTIDO ESTÁ NA OPOSIÇÃO! PP-ESPANHA 2003-2011! 

(Fórum México-DF, 07/12 – Precival Manglano, da executiva do PP de Madrid e da área de estudos do FAES) 1. Três fatores básicos: manter-se como alternativa de poder; manter suas mensagens; priorizar o poder local; e o mostrar como exemplo. Se foi competente no governo, partido tem um crédito de confiança. A imagem de competência econômica do período Aznar ficou. Subiram as filiações.

2. Perdemos as eleições, mas não mudamos de ideias. Debates ideológicos, de valores e federativo. Crise econômica: entra a agenda de emprego. Enquanto isso, o PSOE (socialistas), no governo, executava uma política keynesiana e o déficit fiscal e dívida foram se agravando. PP ganha as eleições municipais em 2011 por 10 pontos, inclusive em feudos do PSOE.

3. Impacto dos indignados na política espanhola foi nulo. PSOE perdeu 4 milhões de eleitores: de 169 deputados federais a 110.  PP mostrou em todos esses anos que é sempre uma alternativa de poder.

* * *

ÍNDICE DE HOMICÍDIOS NA ADOLESCÊNCIA (IHA) ENTRE CAPITAIS BRASILEIRAS!

(G1, 14) Maceió 10,15 / Salvador 8,76 / Vitória 8,04 / João Pessoa 6,87/ Porto Alegre 6,06 / Belém 5,90 / Fortaleza 5,16 / Recife 4,62 / Curitiba 4,13 / Natal 3,69 / Brasília 3,08 / RIO 3,02 / Belo Horizonte 2,94 / Manaus 2,83 / Goiânia 2,50/ Florianópolis 2,39 /São Luis 2,19 /  Aracaju 1,38 / Campo Grande 1,30 / Teresina 1,22 / S. Paulo 1,08.

FONTE: Programa de Redução da Violência Letal (PRVL). * Dados por mil habitantes em 2010. “Os valores para os municípios do Rio de Janeiro devem ser interpretados com cautela, pois diversos estudos mostram a piora da qualidade da informação sobre mortes por causa externa nesse Estado a partir de 2007″, explica o levantamento.

* * *

URBANISMO DE GUERRILHA OU “PARTIZANING”!

(Gazeta Russa-UOL, 12) 1. Ideia do Partizaning é intervir na infraestrutura da cidade para tornar o ambiente urbano mais atraente, funcional e agradável sem esperar pelo poder público. A área de interesse dos “guerrilheiros” inclui faixas de segurança, sinalização de trânsito, ciclovias, calçadas, entre outros.  Pintar uma faixa de pedestres por conta própria, colocar bancos em pátios e espaços verdes urbanos, criar um ambiente confortável para os moradores de rua e fazer um mapa de rotas de bicicleta da cidade sem esperar pelo poder público. Essas são algumas das atividades praticadas pela “guerrilha urbana” (o Partizaning), movimento criado na Rússia.

2. Os inspiradores ideológicos são Anton Make e Ígor Ponosov. Anton começou suas atividades de guerrilha criando um mapa de rotas de bicicleta de Moscou por achar que a capital russa estava muito atrás das cidades europeias em termos de infraestrutura para o ciclismo. Obrigado a usar o veículo quase todos os dias, Anton começou a marcar no mapa as rotas mais convenientes. Assim, surgiu um mapa em papel e, mais tarde, eletrônico.

3. As atividades de Anton despertaram interesse. Como resultado, sua iniciativa começou a ganhar popularidade. Mas o ativismo dos “guerrilheiros” não para por aí. Eles podem se vestir de trabalhadores de estrada para demarcar uma faixa de pedestres ou colocar bancos em espaços verdes ou placas de sinalização de trânsito feitas por conta própria.

4. “Queremos mostrar às pessoas que elas podem alterar o lugar em que vivem por conta própria, sem esperar que o poder local comece a agir”, diz Ponosov. Os ativistas fazem pesquisas da opinião pública para descobrir o que falta em um quarteirão ou um bairro. Para tanto, colocam caixas de correio especiais em ruas da cidade e utilizam a internet.  Todos eles são concretizados pelos ativistas por conta própria ou com o dinheiro arrecadado por apoiadores. Se as pessoas querem mudar alguma coisa na cidade e não têm tempo nem meios para isso, elas podem transferir dinheiro para a carteira eletrônica d “urbanismo de guerrilha”.

5. No site do movimento, Ponosov e Make postam relatórios sobre as iniciativas realizadas, partilham suas experiências e relatam os projetos feitos em outros países.  Clique  www.partizaning.org

* * *

COMO SE COMPORTAM NAS REDES SOCIAIS OS BRASILEIROS!

(Folha de SP, 14) São 65 milhões os brasileiros que usam redes sociais -cerca de um terço da população-, dos quais 84% têm conta no Facebook, segundo pesquisa da Hello Research, que ouviu 1.300 pessoas de 70 cidades do Brasil, entre setembro e outubro deste ano. Os internautas foram classificados em “arroz de festa”, os mais ativos, que comentam sobre quase tudo (30% de todos os usuários de redes sociais); “do contra”, politizados que reclamam de tudo (27%); “hooligans”, que falam quase só sobre futebol (22%) e “maricotas”, que preferem autoajuda e novela (21%).

* * *

A MODERNIZAÇÃO E O SUCESSO DO CDU DE MERKEL! 

(Fórum, 07/12, no México-DF – Stefan Jost, KAS-Alemanha) 1. Conceito de Partido. Adenauer no pós-guerra:  partido de quadros. Com Kohl começa a modernização do partido: partido de membros.  Agenda do País e Agenda das Ruas.  devem ser uma coisa só. Hoje: Partido de membros, mas também de quadros, estes para gerir a vida partidária. Estrutura atual: federal, estadual, provincial, distrital e municipal. Em cada nível o partido tem seus próprios órgãos. Hoje CDU tem 520 mim membros.

2. Objetivo dessa estrutura: difusão de ideias do partido nos diferentes grupos da sociedade de acordo com os interesses de cada grupo e local. Esse trabalho é realizado em  governo ou na oposição. Partido não pode trabalhar com liderança “emprestada”: eleitor não entende.  Pensadores devem estar dentro do partido mesmo que profissionalmente.  Um deputado do partido criou um grupo verde (depois partido verde) e o CDU não levou a serio na época. Depois entendeu o erro estratégico.

3. CDU tinha imagem de partido de homens, de idosos, de católicos… Para mudar foram criados “dias”. Aberto aos de fora do Partido. Dia da juventude. Depois dia da Mulher… Durava todo o dia. Toda a cúpula do CDU era obrigada a ouvir o que se pensava do CDU e ficar lá o dia inteiro. Imagem de partido aberto entrou e se firmou.