28 de novembro de 2013

ALGUNS DADOS DA PESQUISA DO IBOPE NO ESTADO DO RIO COM MIL PESSOAS ENTRE 13-17/11!

1. Religião dos Eleitores. Católico x Evangélicos. Capital:  47% x 31% / Grande Rio 45% x 35% / Interior 48% x 33% / Pessoas que acreditam em Deus mas não tem religião. Capital 15% / Grande Rio 11% / Interior 11%.

2. Presidente Dilma. Todo o Estado: Ótimo+Bom 35%, Ruim+Péssimo 25% / Capital: Ótimo+Bom 32%, Ruim+ Péssimo 33%. / Mais de 5 SM: Ótimo+Bom 30%, Ruim+Péssimo 37% /  Nível Superior Ótimo+Bom 25%, Ruim+ Péssimo 33%.

3. Capital: Avaliação de Cabral: Ótimo+Bom 17%, Ruim+Péssimo 48% / Aprova 32%, Desaprova 62%. / Avaliação de Paes: Ótimo+Bom 26%, Ruim+Péssimo 40% / Aprova 38%, Desprova 57%.

4. Em quem votaria para governador. CAPITAL: Crivella e Lindbergh 12%, Jandira 9%, Cesar Maia 8%, Bernardinho 7%, Garotinho 6%, Pezão e Miro Teixeira 3%, Sandro Matos 1%, Milton Temer 0% /// GRANDE RIO: Crivella 16%, Garotinho 15%, Lindbergh 12%, Cesar Maia e Jandira 5%, Bernardinho e Pezão 3%, Miro Teixeira 2%, Milton Temer 1%, Sandro Matos 0% /// INTERIOR: Crivella 20%, Garotinho 19%, Lindbergh 11%, Pezão 8%, Bernardinho e Jandira 3%, Cesar Maia e Miro Teixeira 2%, Sandro Matos 1%, Milton Temer 0%.

5. Os que não marcaram nenhum dos candidatos a governador: Capital 39%, Grande Rio 39%, Interior 32%.

* * *

PROJETO DE LEI PROPÕE CHAMAR TRANSOLÍMPICA DE AV. NILTON SANTOS!

(Fernando Molica – O Dia, 28) Av. Enciclopédia

Alvinegro, o vereador Cesar Maia apresentará projeto de lei que batiza a Transolímpica de ‘Avenida Nilton Santos, a Enciclopédia’. Lembra que a via passará perto de Marechal Hermes, onde fica um centro de treinamento do Botafogo.

* * *

E SE A RECÍPROCA EM NÍVEL FEDERAL FOR VERDADEIRA?

(Ilimar Franco – Panorama Político – Globo, 27) Os aliados de Aécio Neves, candidato do PSDB ao Planalto, garantem que ele não quer ficar ancorado nem em Bernardinho nem em Cesar Maia. Sustentam que ele está ganhando tempo. Sua aposta é no divórcio entre o governador Sérgio Cabral (PMDB) e a presidente Dilma (PT). O seu objetivo seria ter, ao seu lado, a máquina e a estrutura de Cabral na Baixada Fluminense e no interior.

* * *

PREFEITURA DO RIO: COMLURB PAGA R$ 6 MILHÕES POR CONSULTORIAS PARA IMAGEM ATÉ 2018!

(LFMM) 1. Hoje (27), estive na Cidade das Artes para apresentação do DNA (Desenvolvimento Novas Atitudes) da Comlurb. O palestrante foi o Sr. Frederico Boabad (palestrante convidado-ex Ambev).  O Presidente falou da nova Visão (objetivo) que é “Ser reconhecida como uma das cinco capitais mais limpas do hemisfério Sul e referência mundial em gestão de resíduos sólidos até 2018″. Duas cartilhas que foram distribuídas.

2. Este projeto é com as consultorias da Consultoria Falconi (R$ 4.500.000,00) e da Accenture (R$ 1.500.000,00). Esta está fazendo a pesquisa de percepção de lixo na cidade. O projeto é para 2018.

* * *

NYT: PREFEITURA DO RIO PRESA AOS INCORPORADORES IMOBILIÁRIOS!

(Coluna Paula Cesarino Costa – Folha de SP, 28) Sarcástico, o “New York Times” diz que as autoridades estão se esforçando para reinventar a cidade do Rio, (“onde as diferenças de classe e a corrupção são quase tão inamovíveis quanto as montanhas”). Define o bem-vindo projeto de renovação da região portuária como “grande jogada comercial de um governo preso aos incorporadores imobiliários”. Graceja com o Museu do Amanhã (“o que quer que isso possa ser”) e ridiculariza quem o projetou (“Santiago Calatrava, o arquiteto do ontem”).

* * *

CHILE COM SEGUNDO GOVERNO BACHELET!

(Andrés Oppenheimer – La Nacion, 26) 1. A pobreza no Chile caiu de 40%, em 1990, para 14% atualmente. Por sua vez, a renda per capita no Chile aumentou quatro vezes durante esse mesmo período, mais do que qualquer outro país da região. E Bachelet não vai querer ficar mal na comparação com o atual presidente, Sebastián Piñera, que vai deixar o cargo com uma taxa de crescimento de 5,5% e uma taxa de inflação de 3% para este ano.

2. A coalizão governista de Bachelet estaria ideologicamente dividida entre os socialistas, democratas-cristãos e o Partido Comunista, fato que irá forçá-la a manter um equilíbrio delicado para não perder nenhum de seus principais aliados. O Partido Comunista não fazia parte da coalizão de governo durante seu primeiro mandato, de 2006 a 2010.

3. “Na política externa, o atual governo (Piñera) isolou-nos da América Latina”, disse esta semana Ricardo Solari, um dos colaboradores mais próximos de Bachelet. “Nossa prioridade será fortalecer as relações com a Argentina e retomar nossos laços com o continente, que são muito importantes para nós”.

4. Fontes próximas a Bachelet disseram que o Chile sofreu uma crise de expectativas crescentes, fruto de seu crescimento – alguns chamam de “insatisfação do progresso” – e a melhor maneira de preservar o “modelo chileno” será dando maiores benefícios sociais para aqueles que menos se beneficiaram com o crescimento do país. Os violentos protestos estudantis dos últimos anos refletem essa frustração, disseram. Solari, assessor de Bachelet, concordou que “a única coisa que ameaça o modelo chileno é não para fazer mudanças”.