29 de abril de 2014
A ESCOLHA DO CANDIDATO A VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA A PARTIR DE 1946!

 

1.  A escolha do candidato a vice-presidente da República não tem tido relação necessária com a questão regional. Nesse caso, imagina-se uma composição entre duas regiões do país, como se esta produzisse um efeito agregador. Não é isso o que necessariamente mostram os períodos 1946-1960 e 1989-2006. Para 1950, Getúlio desenhou sua chapa com Ademar de Barros, governador de São Paulo pelo PSP. Getúlio atraía Ademar. O vice, Café Filho, era deputado do Rio Grande do Norte, mas o foco não era o Nordeste: era S.Paulo via Ademar.

 

2. JK, de Minas, escolheu seu vice no Rio Grande do Sul, não por razões regionais nem pelos votos de Jango, que, apesar do impacto do suicídio de Getúlio, havia perdido a eleição para o Senado em outubro de 1954. O objetivo de JK era a composição do PSD com o PTB, que crescia nacionalmente. Para isso cedeu ao PTB a máquina integral dos ministérios de Trabalho-Previdência e Agricultura, o que levou, em 1962, à vitória parlamentar do PTB.

 

3. Jânio, que havia se filiado ao PDC, não teve como não ceder a vice a UDN, e esta, à afiada Banda de Música de Minas. O eleitor votava separado, e Jango venceu a eleição de vice, com Jânio estimulando a chapa Jan-Jan, na área popular. Na eleição de 1989, a primeira depois da democratização, Collor atraiu Itamar de Minas, pensando em agregação regional. Mas, antes e durante a campanha, não se entendia com seu vice, que ficou oculto no processo. Lula em 1989 deu um verniz à chapa com o jurista Bisol, do PSB. Brizola insistia que seu vice deveria, apenas, desestimular seu impedimento, se fosse eleito.

 

4. Em 1994 e 1998, FHC fechou a chapa com o PFL, tendo como vice Maciel, seu nome mais amplo. Afinal o Plano Real, primeiro, e a insegurança da descontinuidade, depois, foram os carros-chefe.  Em 1994 Lula optou por uma chapa petista e paulista e em 1998 com Brizola. O corte foi ideológico e não regional, nos dois casos. Em 2002, Serra atraiu o PMDB, dito autêntico, com Camata do Espírito Santo, sem nenhuma preocupação de densidade regional. O PMDB era o foco. Lula sinalizou para o empresariado suavidade no exercício do mandato com seu vice Alencar.

 

5. Portanto a questão regional, numa eleição presidencial, personalista e vertical, com ampla visibilidade dos candidatos à presidente, nunca foi no Brasil pós-46 uma questão fundamental na formação da chapa. Agrega-se, a partir de 1989, a questão do tempo de TV. E esta minimiza de uma vez a questão regional. Para 2014, tanto faz quem Michel Temer venha compor a chapa com o PT. O importante é o PMDB e o tempo de TV. Da mesma forma os demais, que vão negociando com partidos mais ou menos afins, de olho no tempo de TV, deixando a questão regional à parte.

 

6. Eduardo Campos aposta no carisma de Marina Silva, independente de ser ou não do Acre. Aécio ainda avalia qual a melhor chapa: o senador Aloysio Nunes do PSDB para unificar o PSDB ? Uma mulher pela presença de Dilma e Marina Silva?  Há riscos nas convenções de seus aliados/tempo de TV, por isso? Em maio saberemos a opção, e em junho como ficou o tempo de TV.

 

 

LULA, DILMA E 2014! 

 

(Gerson Camarotti-G1-29) 

 

1. A avaliação interna de dirigentes do partido é que o nome de Lula seria o único capaz de unir o PT e a base aliada em torno de uma candidatura.   A avaliação é de que hoje Dilma está isolada dentro do PT e até mesmo no governo. Com exceção do apoio explícito do ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil), da senadora Gleisi Hoffmann no Congresso e do presidente do PT, Rui Falcão, ela perdeu apoios no restante do partido.

 

2. Na Esplanada dos Ministérios, a principal articuladora do “Volta Lula” dentro do governo, a ministra Marta Suplicy (Cultura), tem conversado com frequência com parlamentares de São Paulo, defendendo a substituição.   Mas, entre os próprios petistas, há o reconhecimento de que só há duas chances de Lula vir a ser candidato: se a própria presidente fizer um gesto e abrir mão da candidatura ou numa eventual crise na base aliada que ela, Dilma, não consiga conter e venha a perder o apoio de partidos como PR, PP e PMDB.

 

 

MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES DA ALEMANHA FAZ ALERTA SOBRE A COPA DO MUNDO NO BRASIL!

 

 

 (El Pais-27) 

1. O relatório fornecido pelo Ministério de Relações Exteriores da Alemanha, na seção “serviços ao cidadão”, e que é lido atentamente por todas as principais agências de turismo do país e turistas que compram pacotes de férias, oferece um quadro desolador do Brasil, gigante sul-americano, e que só é comparável a uma nação onde as leis não são respeitadas e onde o turista corre o risco de ser vítima de ladrões, sequestradores ou simplesmente estar envolvido em confrontos entre a polícia e grupos criminosos, como aconteceu recentemente no Rio de Janeiro.

 

2.   “Em princípio, devemos agir cautelosamente em regiões ou bairros de cidades que são considerados como seguros”, acrescentou o relatório. O Brasil tornou-se uma perigosa armadilha para turistas desavisados que não conhecem a realidade do país.  O Ministério recomenda que os turistas alemães não usem roupas chamativas e joias quando forem caminhar pelas ruas, que evitem levar grandes quantidades de dinheiro e que escondam em bolsas artigos eletrônicos, como telefones celulares e laptops. “Em caso de ataque não se deve resistir, porque os ladrões geralmente agem sob a influência de drogas, estão armados e não se deixam assustar com reações violentas”, aponta o “Sicherheitshinweise” (dicas de segurança) do Ministério.

 

 

RAFAEL CORRÊA PRESIDENTE DO EQUADOR,ESQUERDA, POREM A CADA DIA MAIS DISTANTE DO CHAVISMO!

 

 

(Trecho da entrevista a El Pais-28)  

” O desenvolvimento é um processo político. O problema do desenvolvimento é que muitas coisas são necessárias, mas nenhuma é suficiente por si só. É necessário talento humano, ciência, tecnologia. Avançamos muito no social, avançamos muito no campo político, mas um dos principais problemas do país é a baixa produtividade da sua economia, a concentração em poucas atividades econômicas. Temos que fazer coisas melhores, coisas novas. Isso é o que chamamos de diversificar a matriz de produção e por isso a ciência e a tecnologia são tão importantes como geradoras de riqueza. Estamos colocando muita ênfase nisso. É um direito, o direito humano à educação, mas também é um fator fundamental para a produtividade.”

 

 

 

PANAMÁ : CANDIDATO DA ESQUERDA EM PRIMEIRO!

 

 (Pesquisa Ipsos/Canal Telémetro-28) 

 

Com 1.500 entrevistas. Agora Navarro do PRD,(centro-esquerda),encabeça a disputa presidencial com 35% das intenções de voto! seguido por Árias -candidato do governo -Câmbio Democrático com 33,9%. Varela do Partido Panamenista e vice-presidente,  vem  depois com 29,1%.