19 de setembro de 2017
INFORME DE “O DIA” ENTREVISTA CESAR MAIA!
(O DIA, 18) 1. O DIA: Há uma reaproximação sua com Eduardo Paes? Seu filho tem discutido uma aliança com o PMDB para 2018.
Cesar Maia: Rodrigo e Eduardo sempre mantiveram esses contatos. Mas em relação a mim não há nenhuma aproximação. Nenhuma. E menos ainda eleitoral.
2. O DIA: Então está descartada qualquer aliança com Paes ou com o PMDB em 2018?
Cesar Maia: Da minha parte está descartada. Mas eu não sou o partido. Em 2016 houve acordo entre os partidos (DEM e PMDB), mas eu não fiz a campanha do Pedro Paulo (Carvalho) e não votei nele nos dois turnos. Isso ficou claro e aberto.
3. O DIA: É que há uma conversa nos bastidores de que haveria uma aliança entre o senhor e Paes. Um viria para o governo, outro para o Senado.
Cesar Maia: Comigo ninguém tratou disso. Nem Rodrigo.
4. O DIA: Uma fonte do seu partido diz que o senhor só disputará a eleição se for para o governo, porque se for para cargo no Legislativo, preferiria ficar como vereador…
Cesar Maia: Nunca disse isso. Não estou pensando nisso. É muito cedo, pois nem as regras eleitorais estão definidas. Estou feliz como vereador.
5. O DIA: Supondo que o senhor seja candidato, o fato de ter sido prefeito por três mandatos ajuda ou atrapalha? Lembrando que há a onda dos outsiders, pessoas eleitas que vieram de fora da política.
6. Cesar Maia: Difícil antecipar eleições no Brasil. E nesta conjuntura é impossível. Aqui no Rio, ainda não apareceu um nome que represente a antipolítica ou outsider em 2018.
7. O DIA: Nem o ex-técnico de vôlei Bernardinho (Novo)?
Cesar Maia: Só perguntando a ele. Não li ainda nenhuma afirmação nesse sentido.
8. O DIA: Que impacto poderá ter Rodrigo, como presidente da Câmara, na eleição no Rio?
Cesar Maia: As campanhas têm dinâmicas próprias. Só em 2018 saberemos. Mas a gratidão dos cariocas e fluminenses sempre foi marca de suas identidades.
9. O DIA: Como vereador, o senhor fez oposição atuante ao Paes e, agora, ao Marcelo Crivella (PRB)…
Cesar Maia: Paes quis surfar os grandes eventos e a onda o derrubou. Crivella ainda é um não governo. Só está fazendo caixa para os últimos três anos. O desgaste dele com os servidores é terminal.